Rádio Caxias

Notícias



BRASIL

Violência 13/03/2018 | 17h48

Procuradora da Mulher no Legislativo diz que pena mais dura pode mudar a realidade do feminicídio no Brasil


Procuradora da Mulher no Legislativo diz que pena mais dura pode mudar a realidade do feminicídio no Brasil
Foto: Divulgação/ Internet
Está para ser votada nesta terça-feira (13), no Congresso Nacional, em Brasília, matéria que prevê o endurecimento das penas para crimes de feminicídio no país.  Atualmente, o Código Penal estabelece reclusão que pode variar de 12 a 30 anos de prisão. O fato repercutiu para a Procuradora da Mulher no Legislativo, vereadora Denise Pessôa (PT). Ela afirmou que penas mais duras podem mudar questões culturais do Brasil.

Para a petista, o aumento da penalidade para crimes de feminicídio é um passo importante para mostrar à sociedade que a mulher tem voz e deve ser respeitada. Denise explicou que o País ocupa o quinto lugar entre as nações que mais matam mulheres por questões de gênero no mundo inteiro. A parlamentar atribui a culpa da atual conjuntura a questões culturais profundas, que vêm da época de patriarcado. 

Denise Pessôa também disse que é necessário investir em ferramentas para a educação, assim como dar voz e atenção às mulheres, para que saiam de relacionamentos abusivos e denunciem os agressores. Ela opinou que a matéria que está em Brasília é um ótimo exemplo de ferramenta, uma vez que faz com que a cultura da agressão seja aos poucos reprimida. Se houver aprovação no Congresso, o texto segue para sanção do presidente da República, Michel Temer (PMDB).

A vereadora assumiu a Procuradoria da Mulher, no dia 8 de março. Entre as atribuições, estão o recebimento e o encaminhamento de denúncias de agressão a mulheres. A parlamentar disse que ainda não recebeu denúncias da comunidade, mas que o trabalho de divulgação do novo órgão está sendo feito junto a entidades femininas e Clubes de Mães.

Departamento de Jornalismo








Em breve
Nenhum jogo no momento.